sábado, 6 de abril de 2013

Curativos


Olá queridos leitores! Já falamos AQUI, sobre o processo de cicatrização de feridas, hoje vamos nos aprofundar mais neste assunto que é muito importante dentro da saúde dos idosos, vamos falar neste Post sobre tipos de Curativos e seus principais objetivos.
De modo geral, podemos classificar as feridas em: cirúrgicas e traumáticas, quanto a sua causa; feridas limpas, contaminadas e infectadas quanto ao conteúdo bacteriano; feridas abertas ou fechadas, quanto as características das bordas; feridas agudas ou crônicas, quanto ao tempo de cicatrização; e feridas de 1a intenção (quando ocorre aproximação das bordas, perda mínima de tecido, ausência de sinais de infecção, drenagem mínima de exsudato), de 2a intenção (quando ocorre união indireta das bordas da ferida, ocorre perda de tecidos, infecção da ferida. Ex: queimaduras, úlceras de pressão), de 3a intenção (quando a cicatrização é corrigida ou estimulada cirurgicamente, implica numa sutura reconstrutiva das bordas ou aplicação de enxertos), de 4a intenção (ocorre sub crosta protetora, tendo por baixo tecido de granulação, comum nas escoriações e queimaduras), cicatrização por 1a intenção retardada (quando há presença de drenos, quando há risco de infecção e o cirurgião deixa a ferida aberta de 3 a 5 dias até a chance de infecção estar reduzida e poder realizar a sutura completa. Ex: apendicectomia, apêndice agudo supurado).
Vários fatores podem inteferir no processo de cicatrização das feridas, dentre eles estão: hipovolemia, anemia, perda sanguínea, desnutrição ou estado nutritivo prejudicado, idade - existem muitos fatores que parecem retardar o processo de cicatrização das pessoas idosas: menor eficiência do sistema circulatório e da resposta inflamatória, particularmente nas áreas superficiais do corpo, maior fragilidade capilar e redução da síntese do colágeno e neoangiogênese, queda da defesa imunológica, hormônios, certos medicamentos (cortocóides, agentes citotóxicos, imunossupressores), doenças associadas como cirrose hepática, uremia, diabetes, pressão alta, neoplasias (câncer), hipotermia, álcool e drogas.
É muito importante selecionar os curativos adequados que auxiliem na citraização do ferimento - ambiente úmido na ferida acelera de 3 a 5 vezes o tempo de cicatrização. O próprio nome CURATIVO nos revela o objetivo de sua realização: ativar/estimular a cura da ferida. Os curativos evoluíram muito, dos curativos passivos (gazes, compressas) para curativos ativos (interativos, hidroativos e bioativos), alterando significamente o modelo tradicional no cuidado de feridas. O objetivo da cura da ferida implica em recuperar a continuidade entre as bordas da ferida e restabelecer a função do tecido. Existem alguns critérios considerados para a realização de um curativo ideal:
  • Manter alta umidade no espaço entre ferida/curativo;
  • Remover o excesso de exsudato e componentes tóxicos;
  • Permitir trocas gasosas;
  • Promover isolamento térmico;
  • Dispor de proteção contra infecção secundária;
  • Estar livre de partículas e contaminantes tóxicos;
  • Permitir sua renovação sem trauma na troca;
  • Dispor de vários tamanhos (resistentes);
  • Proporcionar conforto ao paciente.
Curativos passivos: gazes, gazes medicadas, micropore.
Curativos interativos ou hidroativos: películas polimerizadas, espumas polimerizadas, polímeros fibrosos, hidrogéis, HIDROCOLÓIDES.
Curativos bioativos: alginato de cálcio, polissacarídeos, hidrogéis, HIDROCOLÓIDES, ácidos graxos essenciais (ÓLEO DE GIRASSOL).

REGRAS GERAIS PARA REALIZAÇÃO DE UM BOM CURATIVO:
  • Feridas crônicas. Ex. Curativos realizados em domicílio, como úlceras e escaras de decúbito: Devem ser realizados curativos diários de preferência 2 vezes ao dia, o local da ferida precisa estar limpo, livre de contaminações e com ambiente levemente úmido (hidratado) para favorecer a cicatrização, mas aqueles que drenam muito exsudato deve ser trocado o curativo assim que o mesmo estiver molhado. Materiais necessários: cobertura adequada (de acordo com as características e necessidades da ferida, gaze, óleo de girassol, pomadas específicas (ex. Kolagenase com clorafenicol ajuda no debridamento químico de feridas com presença de tecido necrosado e evita proliferação de bactérias, Fitoscar uma pomada a base de estrato de ervas que estimula a cicatrização dos tecidos, Nebacetim, pomada que ajuda muito na cicatrização de úlceras em membros inferiores, principalmente ajuda a tratar e prevenir contaminação por bactérias que ajudam a retardar o processo de cicatrização, pomada de Sulfadiazina de Prata ajuda muito no combate e prevenção de infecção de feridas causadas por queimaduras e/ou úlceras de pressão, ajudando na cicatrização - ATENÇÃO deve ser usada em feridas que não contenham tecido necrosado), Luvas de procedimento, Luvas esterilizadas, Soro Fisiológico 0,9% estéril, seringas de 10 ou 20 ml + agulhas tamanho grande 40X12, micropore, ataduras, esparadrapo. 
  • Procedimento: lavar bem as mãos, reunir todo material próximo ao local de realização do curativo - se possível em uma bandeja, abrir os pacotes de gazes, luvar estéreis, usar frasco de soro estéril com sistema fechado, com uma agulha e seringa estéreis furar o soro na parte inferior de borracha onde é instalado o equipo (quando é usado na veia) e deixar a agulha ali com auxílio da seringa pode retirar a quantidade de soro necessária para limpeza da ferida ou pode utilizar o frasco de soro pressionando para que o líquido saia através da agulha colocada no mesmo. Calçar as luvas de procedimento, realizar limpeza da ferida (pode ser utilizado antisséptico a base de clorexidina tópica, se existe risco de infecção da ferida, principalmente se for localizada em áreas de risco como região do cóccix onde pode acontecer contaminação com fezes e urina). Lavar bem a ferida, de forma delicada a fim de evitar sangramentos e descolamento de tecido de granulação (tecido novo), calçar luvas estéreis - em uma das mãos (dominante), lavar, enxaguando bem a ferida com soro fisiológico com mão não dominante, com dominante com a luva estéril, limpar e secar bem o local com gazes, avaliar a ferida, tocar para sentir se há presença de exsudato, avaliar a temperatura local e avaliar melhor a presença ou não de tecidos de necrose, com a mesma mão manipule as gazes estéreis para colocar no curativo, use terapia tópica + adequada para a ferida (pomada, óleo de girassol). Cubra com mais uma camada de gazes e feche com micropore (não use esparadrapo se o curativo entrar em contato com a pele, pois o mesmo pode causar alergias, use esparadrapo somente se for fixar atadura). Use luvas de procedimento quando for tirar o curativo sujo, ou lavar com água e sabão a ferida se a mesma estiver muito suja ou contaminada. Quando for realizar o curativo em si, prefira o uso de luvas estéreis, quanto menos contaminado a realização do procedimento menor a chance de contaminação da ferida e consequentemente necrose e desenvolvimento de outros problemas secundários que podem levar, inclusive, a piora do estado geral do paciente. 
ATENÇÃO: Vimos que existem muitos fatores que contribuem para um bom processo de cicatrização das feridas, nos idosos é importante que seja tomados cuidados especiais com alimentação. A maioria dos idosos dependentes, com múltiplas patologias, tem problemas com uma nutrição adequada. Vivem a base de dietas (umas para baixar colesterol, outras para não aumentar o Diabetes ou a Pressão alta, outras ainda para não prejudicar função renal) e no fim acabam ficando desnutridos, com níveis muito baixos de proteínas, que levam a diminuição significativa da massa muscular, que pode causar sérios problemas para manutenção de um bom estado geral do paciente. Desnutrição não ocorre somente quando o paciente não come, mas quando deixa de ingerir quantidade suficiente ou adequada de nutrientes necessários para a manutenção de sua saúde. Desnutrição pode causar vários problemas para o paciente idoso: problemas cardio-circulatórios, fraqueza, confusão mental, apatia, letargia, déficit no sistema imunológico e consequentemente susceptibilidade maior a desenvolvimento de infecções subsequentes, de repetição e difícil tratamento, retenção de líquidos sob a pele (edemas de membros superiores e inferiores) e extravasamento dos mesmos, pele seca e desidratada aumento do risco de ruptura e lesão, dificuldade na cicatrização de feridas, pois as proteínas são as construtoras de tecidos novos, seu déficit causa retardamento na formação de tecidos novos de regeneração. Há de se ter sempre bom senso na alimentação dos idosos, pacientes com presença de feridas, precisam de uma dieta hiper protéica (carnes, pães, queijos e leite), existem no mercado alguns complexos vitamínicos e de reposição oral de proteínas que podem ajudar nesse processo, um deles é o Cubitan, recomendado pelos nutricionistas, trata-se de um suplemento nutricional protéíco/calórico enriquecido com arginina e com alto teor de nutrientes (zinco, vitaminas A, C e E) que estimulam a cicatrização. É indicado principalmente para auxiliar na cicatrização de úlceras de pressão e outras situações que necessitem estímulo à cicatrização, sua ingesta é oral, sua apresentação é semelhante ao iogurte de garrafa, e tem vários sabores, facilitando a ingestão. Um profissional da Nutrição pode ajudar muito na orientação da dieta mais adequada para pacientes nessas situações, proporcionado cuidado com as doenças que ele tem, sem deixar de ingerir os nutrientes necessários que ele precisa para poder ter uma boa qualidade de vida e saúde.

REFERÊNCIAS:

Fundamentos de enfermagem/Marta Lenise de Prado, Francine Lima Gelbcke, organizadoras. - Florianópolis: Cidade Futura. 2002.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...